NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE PÔSTERES CIENTÍFICOS NO 21º CONGRESSO INTERNACIONAL UNIDAS

Mais uma vez, a UNIDAS abre espaço para que profissionais do setor apresentem trabalhos que promovam assistência de qualidade aos beneficiários de planos de saúde. Além dos formatos tradicionais de publicação científica, com artigos originais e de revisão, o espaço está aberto também para relatos de caso, ou seja, qualquer conteúdo que estimule o compartilhamento de conhecimentos.

Os trabalhos serão expostos em forma de pôster, no 21º Congresso Internacional UNIDAS – CAMINHOS PARA INOVAR, que será realizado de 7 a 9 de novembro, na Costa do Sauípe, Bahia. As regras de participação estão definidas abaixo, a saber:

  • Todos os resumos deverão estar de acordo com as orientações abaixo, a fim de serem submetidos à aceitação da Comissão Científica do 21º Congresso Internacional UNIDAS;

  • Os resumos deverão ser enviados, impreterivelmente, até o dia 5/10/2018, à Comissão Científica do Congresso, pelo e-mail: congresso@unidas.org.br;

  • O resumo completo deverá estar contido dentro do limite de uma folha A4, e enviado por e-mail;

  • Deverá ser utilizado espaço simples, fonte Times New Roman, em tamanho 10 e tinta preta;

  • Os resumos deverão ser escritos em português;

  • O título deve definir claramente o tema a ser abordado, ser impresso em letras maiúsculas, estar alinhado à margem esquerda, posicionado imediatamente abaixo da margem superior, e não deve conter abreviaturas nem siglas;

  • Após o título, pular uma linha e escrever o nome completo do primeiro autor, seguido pelos demais coautores, usando apenas as iniciais após o sobrenome (se o mesmo autor estiver apresentando mais de um resumo, certifique-se de que o nome do autor esteja escrito sempre da mesma maneira). Separar os nomes por ponto e vírgula. Incluir o nome da instituição onde se desenvolveu o trabalho, a cidade e o Estado, quando em uma localização específica, ou região geográfica ou Brasil, dependendo de um trabalho regional ou em todo ou grande parte do território brasileiro;

  • Pular uma linha e escrever o corpo do resumo;

  • O corpo do resumo, conforme exemplo anexo (no fim do documento), deve conter 5 parágrafos separados, para cada um dos seguintes tópicos, destacados em maiúsculas e negrito: objetivos, métodos, resultados e conclusões. Indicar o tópico ao início de cada parágrafo;

Abreviaturas padrões poderão ser usadas. Quando utilizá-las, use a palavra inteira na primeira vez que mencioná-la, seguida da abreviatura entre parênteses;


  • Não é permitido incluir quadros ou gráficos no resumo;

  • Nomes comerciais de medicamentos ou quaisquer outros produtos comerciais não são permitidos, devendo ser usados os nomes genéricos;

  • Eventuais apoios ou patrocínios devem ser indicados ao final do resumo, quando cabível. A não divulgação do patrocínio, quando houver, desqualificará o resumo;

  • Assinar e datar o resumo.
INFORMAÇÕES GERAIS

  • A inscrição de um resumo constitui um compromisso do(s) autor(es) em apresentar o trabalho da maneira como foi aceito. Despesas referentes à preparação, inscrição, deslocamento, hospedagem e apresentação dos trabalhos são de inteira responsabilidade dos autores;

  • Os resumos serão classificados de acordo com seu valor científico e sua originalidade;

  • A Comissão Científica do Congresso reserva-se o direito de recusar trabalhos, baseando-se nos critérios citados para elaboração do resumo e no valor científico do trabalho;

  • A notificação de aceitação ou recusa do trabalho será postada no site do Congresso (www.unidas.org.br/21congresso) até o dia 11/10/2018;

Importante: cada trabalho aceito requer a participação no Congresso de pelo menos um dos autores ou coautores.

MODO DE APRESENTAÇÃO: PÔSTER

  • Medidas do painel/pôster: 0,90m de largura por 1,20 de altura;

  • Formatação: letras em fonte Arial, de tamanho 70 (para título) e 40 (para texto). Mencionar, abaixo do título, à direita, o(s) nome(s) do(s) autor(es) e a Instituição.

  • Observações:

    • Os pôsteres poderão conter quadros, imagens e gráficos;

    • O congressista é responsável pela confecção, colocação e retirada do painel/pôster;

    • A organização do congresso destinará um suporte para fixação do painel/pôster.
DA PREMIAÇÃO

Haverá avaliação e escolha de pôsteres premiados por categorias. Os critérios utilizados para a premiação serão o valor científico e originalidade do tema. Os autores premiados receberão certificado e troféu, de acordo com a classificação em primeiro, segundo e terceiro lugares.

ANEXO – EXEMPLO DE RESUMO

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA CURVA DE GASTOS EM ONCOLOGIA E POR OUTRAS CAUSAS DE MORTE NOS ÚLTIMOS 5 ANOS DE VIDA DE BENEFICIÁRIOS DE UM PLANO DE SAÚDE NO BRASIL – DADOS DE MUNDO REAL

Reis Neto, J P; Busch, J M


CAPESESP – Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da Fundação Nacional de Saúde, Brasil


OBJETIVOS: o binômio formado pelo aumento do número de casos de neoplasias assim como o alto custo relacionado ao seu tratamento em todo o mundo, é considerado um dos maiores desafios da saúde pública e privada. O objetivo deste estudo foi de comparar o padrão de distribuição do custo médico nos últimos 5 anos de vida de pacientes oncológicos com os portadores de outras patologias.


MÉTODOS: análise retrospectiva da distribuição de gastos nos últimos 5 anos de vida (2011 a 2015). População estudada: 1.030 beneficiários do plano de saúde que morreram em 2015. Os dados foram obtidos a partir dos registros eletrônicos da utilização do plano de saúde e respectivas despesas assistenciais. Para o estudo utilizamos as seguintes variáveis: a) Categorias de beneficiários: portadores de neoplasias de qualquer sítio no ano do óbito (n=289; 28,0% do total) e indivíduos sem diagnóstico de câncer (n=741; 72,0%); b) Despesas assistenciais: agrupadas em 5 períodos de 12 meses, anteriores ao mês de óbito; c) Características dos beneficiários: idade e sexo. Estatística descritiva simples de números, percentuais, médias e desvio padrão. Análise comparativa entre grupos (t-test e Wilcoxon) utilizando SS Statistics©2017, com nível de significância de p < 0,05 e IC de 95%. Proporção de gastos sobre a despesa total em portadores de neoplasias e demais patologias; distribuição das despesas com internação e ambulatoriais.


RESULTADOS: a distribuição de gastos em portadores de neoplasias nos períodos que antecederam ao óbito (-5, -4, -3, -2, -1) foi 4%, 11%, 26%, 30% e 30%, respectivamente, enquanto nas demais patologias foi de 5%, 5%, 8%, 21% e 61% (p<0,05). Quanto aos gastos com internação e ambulatório, no primeiro grupo foi de 64%/36%, e no segundo, 94%/6%.


CONCLUSÕES: em pacientes oncológicos, observamos uma distribuição dos gastos nos últimos anos de vida diferente daquele apresentado pelos demais beneficiários. Quando comparados os resultados de pacientes com neoplasias a estudo similar realizado na mesma instituição, apresentado no ISPOR 13th Annual European Congress, em 2010, observamos curva de despesas diferente da atual, o que sugere que o acesso à quimioterapia oral e o aumento da sobrevida desses pacientes, podem ter contribuído para justificar a distribuição mais uniforme dos gastos durante os anos que antecedem ao óbito. Estudos mais detalhados são necessários para avaliar o impacto dessa modificação para o sistema de saúde.

TRABALHOS CLASSSIFICADOS
  • A IMPORTÂNCIA DAS CENTRAIS DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADAS EM SAÚDE NA SATISFAÇÃO DOS BENEFICIÁRIOS
  • A INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DEUM NOVO MODELO DE REDE DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NA ADEQUAÇÃO DOS CUSTOS E SATISFAÇÃO DO CLIENTE
  • A VISÃO DA FONTE PAGADORA NA INDICAÇÃO DA TERAPIA NUTRICIONAL
  • ABORDAGEM PREVENTIVA DA REGULAÇÃO VISANDO COMPARTILHAMENTO DE CONHECIMENTO E EDUCAÇÃO PERMANENTE - NÚCLEO REGULATÓRIO
  • ANÁLISE DE IMPACTO ORÇAMENTÁRIO (BIA) DA DOR CRÔNICA SOB A PERSPECTIVA DE UMA AUTOGESTÃO
  • ANÁLISE DO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO GESTÃO DAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES E SEGURANÇA DOS PACIENTES IMPLANTADO PELA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL NO ESTADO DE MINAS GERAIS
  • ANÁLISE DO PERFIL DE PACIENTES E DE FATORES ASSOCIADOS À CERVICALGIA.
  • ANÁLISE PRELIMINAR COM ÊNFASE NOS RISCOS DE INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS EM UM PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DESTINADO AOS PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS
  • ANÁLISE PRELIMINAR DOS INDICADORES CLÍNICOS DOS PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE AUTOCUIDADO DESTINADO A PORTADORES DE DIABETES MELLITUS
  • ANTECIPAÇÃO DE CONFLITOS: MELHORANDO COMUNICAÇÃO E EVITANDO NOVAS LIMINARES NUMA AUTOGESTÃO PÚBLICA
  • APLICAÇÃO DE UM PROGRAMA INTEGRADO DE QUALIDADE DE VIDA - RELATO DE CASOS
  • APRIMORAMENTO DO FLUXO ASSISTENCIAL NO MANEJO DA SEPSE
  • ARTETERAPIA EM MULHERES EM TRATAMENTO DE CÂNCER DE MAMA
  • AUDITORIA CONCORRENTE ESPECIALIZADA EM INFECTOLOGIA E A OTIMIZAÇÃO NO USO DOS ANTIMICROBIANOS – EXPERIÊNCIA EXITOSA DE IMPLANTACÃO EM UMA AUTOGESTÃO PÚBLICA COM MAIS DE 500.000 VIDAS EM SALVADOR
  • AUTOMATIZAÇÃO DO PROCESSO DE INTERAÇÃO COM A REDE PRESTADORA POR MEIO DE FERRAMENTA DE RELACIONAMENTO DIGITAL
  • AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS ASSISTIDOS EM SAÚDE PREVENTIVA: PREMISSA PARA O CUIDADO INTEGRAL E CONTINUADO
  • AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA RESOLUTIVIDADE DE UMA CLÍNICA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO SETOR DA SAÚDE SUPLEMENTAR
  • AVALIAÇÃO DO PÉ DIABÉTICO COMO EXPRESSÃO DA RESOLUTIVIDADE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA NA SAÚDE SUPLEMENTAR
  • CAMPANHA PARA REDUÇÃO DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NO REFEITÓRIO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL MADRE TERESA
  • COZINHA FUNCIONAL PARA MULHERES EM TRATAMENTO DE CÂNCER DE MAMA
  • CUSTO EFETIVIDADE DO IMPLANTE DE BIOPRÓTESE AÓRTICA TRANSCATETER EM UM PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE EM SANTA CATARINA
  • DESEMPENHO DO GLICOSÍMETRO EM FAIXA CRÍTICA DE RESULTADOS DE HIPOGLICEMIA
  • DESOCUPAÇÃO DE ÁREA NOBRE PARA GERAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
  • ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: O CUIDADO TRANSDICIPLINAR COMO FERRAMENTA DE DESOSPITALIZAÇÃO
  • ESTRATEGIAS INOVADORAS PARA MAXIMIZAR OS RESULTADOS DAS AÇÕES DESTINADAS A PROMOÇÃO E PREVENÇÃO EM SAÚDE MENTAL
  • ESTUDO DE CUSTO-EFETIVIDADE DO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO PARA CESSAÇÃO DO TABAGISMO NA PERSPECTIVA DE UMA AUTOGESTÃO
  • EVOLUÇÃO DA PESQUISA DE INDICADORES PELA ENTIDADE ASSOCIATIVA DAS AUTOGESTÕES NO BRASIL
  • GERENCIAMENTO DE PACIENTES AMBULATORIAIS EM USO DE MEDICAMENTOS QUIMIOTERÁPICOS ORAIS DE UM PLANO DE SAÚDE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
  • GESTAO DO PACIENTE INTERNADO_UM NOVO CONCEITO DE AUDITORIA
  • GRUPO DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR PARA OBESOS – UM RELATO DE CASO
  • IMPACTO DAS NOVAS REGRAS EM DEBATE SOBRE MECANISMO DE REGULAÇÃO
  • IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA DE ENCANTAMENTO AO BENEFICIÁRIO EM UM CALL CENTER DE SAÚDE
  • IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO INOVADOR NO PROCESSO DE DIMENSIONAMENTO DA REDE PRESTADORA DE SERVIÇOS DE UM PLANO DE SAÚDE DO ESTADO DE SC
  • IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA KAIZEN TEIAN – “DESENVOLVENDO KAIZENS EM TEMPOS DE CRISE”
  • IMPORTÂNCIA DO OSMÔMETRO NA MENSURAÇÃO DA OSMOLALIDADE EM PACIENTES HOSPITALIZADOS
  • INOVANDO NO MODELO DE NEGOCIAÇÃO PARA REAJUSTE COM REDE HOSPITALAR
  • LONGEVIDADE E CUSTO DA ASSISTÊNCIA: O DESAFIO DA GESTÃO DE UM PLANO DE SAÚDE
  • MEMÓRIA, ENVELHECIMENTO E QUALIDADE DE VIDA
  • MINHA MELHOR VERSÃO 2019: UM PROGRAMA MULTIDISCIPLINAR DE GAMIFICAÇÃO PARA MUDANÇA DE HÁBITOS
  • O IMPACTO DA GESTÃO DO CUIDADO DE PACIENTES COM DOENÇAS CRÔNICAS NAS ADEQUAÇÃO DOS CUSTOS ASSISTENCIAIS
  • O VÍNCULO COMO NORTEADOR DA ASSISTÊNCIA AOS PARTICIPANTES COM RISCO CARDIOVASCULAR: RESULTADOS DE UMA OPERADORA DE AUTOGESTÃO EM MINAS GERAIS
  • ÓBITO EM UNIDADE DE TRATAMENTO INTENSIVA GERAL
  • PACIENTE COM DIAGNOSTICO DE CANCER EM TRATAMENTO DE QUIMIOTERAPIA EM ÓBITO
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS BENEFICIÁRIOS DE UMA OPEADORA DE SAÚDE DE MODALIDADE AUTOGESTÃO DO RIO GRANDE DO SUL
  • PORTAL SAÚDE – UM NOVO CAMINHO PARA GESTÃO NA EMPRESA
  • PREVINE MULHER: ATENÇÃO INTEGRAL E RASTREIO ONCOLÓGICO EM UMA AUTOGESTÃO
  • PROCALCITONINA NA TRIAGEM DO PROTOCOLO DE SEPSE
  • PROGRAMA DE BEM COM A VIDA: O CASO FACHESF
  • TELEMONITORAMENTO E SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA: AÇÕES DE PREVENÇÃO PARA BENEFICIÁRIOS COM DOENÇAS CRÔNICAS E O IMPACTO NOS CUSTOS ASSISTENCIAIS DE UMA AUTOGESTÃO NO ESTADO DA BAHIA
  • TESTES LABORATORIAIS RÁPIDOS APLICADOS NA TRIAGEM DA DOR TORÁCICA COMO PREDITORES DE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO
  • UTILIZAÇÃO DE APLICATIVO MOBILE COMO FACILITADOR NA GESTÃO DO CUIDADO
  • UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIA MOBILE NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DA SAÚDE DO PACIENTE CRÔNICO

PATROCINADORES


APOIADORES